Qual a razão de ser do designer?

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS, temos enfatizado. Mas onde está escrito que SOLUÇÃO DE PROBLEMAS pressupõe CRIAÇÃO DE ARTEFATOS? E, principalmente, artefatos materiais?

Tenho discutido isto em palestras e em sala de aula. No início, tínhamos os 3R´s -  RECICLAR, REUTILIZAR E REDUZIR. Até então, o foco estava no incentivo à reciclagem de produtos e embalagens, uma solução paliativa para o real problema:  o consumo exagerado e o design irresponsável. Depois foram acrescentados 2Rs: REPENSAR E RECUSAR. Estes 2 são interessantes porque atuam na raiz do problema. Vou falar sobre isso brevemente, mas,  quem quiser adiantar, veja o diagrama que proponho na palestra DESIGN DURABLE, no www.slideshare.net /deniseeler

Diante de um briefing, proponho que a primeira pergunta do designer, ao elaborar a proposta de solução do problema seja:  Isto demanda a criação de algo material? E a partir desta resposta, um check list de caminhos possíveis.

Se “projetar para durar” for nosso MINDSET, nunca vamos diminuir a quantidade de artefatos no mundo. Esta é uma mudança radical que merece muitos posts e muito diálogo. Afinal, designers resolvem problemas e a criação de artefatos materiais é MEIO, não É fim. Embora tenha sido assim, desde a Revolução Industrial.

Ok, se após uma análise criteriosa do problema e, ESGOTADAS as soluções possíveis, concluirmos que a solução passa por um artefato material,  vamos nos encarregar de projetar artefatos que sejam ambientalmente amigáveis, socialmente justos e economicamente viáveis. Tarefa difícil, mas é assim que deve ser. A boa notícia:

Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things

William McDonough, Michael Braungart

atenção ao Cap.2:  PORQUE SER MENOS RUIM NÃO É O SUFICIENTE

Finalmente um livro inteiro examina a mudança de modelo mental exigida dos designers contemporâneos.

Veja +: Cradle to Cradle Case Studies // Gosto deste CASE em especial porque toca na questão emergente – como inserir design thinking na gestão de negócios, considerando que a responsabilidade ambiental FAZ PARTE do nosso modo de pensar. Em resumo: precisamos inserir o DT nas empresas e, ao mesmo tempo, inserir consciência ambiental no DT. Estou animada…

The Anatomy of a Transformation – Herman Miller
by William McDonough and Michael Braungart
“The story of Herman Miller’s ‘journey to sustainability’ is an especially good example of the step-by-step process of integrating ecologically intelligent design into business practice. From hiring dedicated staff to pursue a new design protocol to engaging its supply chain in materials assessment, the Michigan-based furniture company is modeling a comprehensive, long-term commitment to sustaining industry.:

http://www.mcdonough.com/writings/anatomy_transformation.htm

Slide 9

SOLUÇÃO DEMANDA CRIAÇÃO
DE PRODUTO MATERIAL?